Facebook: 8 fatores que devem ser considerados antes de postar na rede social

O EdgeRank, como foi chamado pelo Facebook, é o algoritmo de classificação que define o que irá aparecer na linha do tempo ou “News Feed” de cada usuário. Hoje, o termo não é mais utilizado pelo Facebook, mas é comumente visto como uma referência a qualquer algoritmo relacionado à classificação de posts.

No final de 2013, em uma nota publicada pela revista Advertising Age, Mark Zuckerberg dizia que o alcance orgânico das postagens iria diminuir cada vez mais, pois era natural, devido à quantidade massiva de informações. Assim, eles passariam a dar mais relevância para os posts com mais engajamento e também para aqueles que investissem no programa de marketing digital criado pela companhia, onde é necessário pagar para conseguir visualizações.

A ideia é que se você “curte” 50 páginas diferentes com uma média de 4 postagens diárias, são 200 posts para ler em um único dia, sem contar o que vem da lista de amigos. Digamos que você tenha uma lista com 300 amigos, onde cada um faz cerca de duas postagens diárias. Não dá pra dar atenção pra tudo. Assim, tanto usuários quanto páginas são afetados e perdem visibilidade.

Esse é o “problema” que o Facebook estava enfrentando. A solução poderia ser simples: Separar o “Curtir” do “Seguir” (o que foi feito) e pedir que os usuários selecionassem as páginas mais relevantes. Outra alternativa, seria seguir o modelo de leitores de feed (RSS), onde é possível ver o número de atualizações não lidas de cada assinatura. Mas ao contrário, Zuckerberg concentrou os esforços da companhia no algoritmo de classificação dos posts. Em outras palavras: Tentar prever aquilo que cada usuário mais gosta e alterar a linha do tempo com base na atividade particular de cada conta e nas tendencias da web (Top Stories / Principais notícias).

Os mais afetados com as alterações são as páginas, que perdem o alcance orgânico em função da quantidade de atualizações na linha do tempo de cada usuário. Assim, a solução é investir nos posts patrocinados para atingir o público.

Não há muita clareza por parte do Facebook sobre como funciona a classificação. Essa era uma reclamação recorrente. Por isso, em Agosto de 2013, eles criaram uma página para tentar explicar parte do funcionamento do algoritmo. Dentre os fatores destacados que influenciam a lista de posts do News Feed estão:

1) A frequência de interação com amigos e páginas (Quanto maior a frequência, maior as postagens relacionadas à pessoas e páginas);

2) O número de curtidas, comentários e compartilhamentos no post (post com mais engajamento e interação de amigos possuem mais relevância);

3) Com qual frequência o usuário interagiu com aquele tipo específico de post (ex: Uma notícia, atualizações de games, fotos, post de páginas, etc)

4) Se o post contém link para notícias de sites importantes ou com alto índice de engajamento (Veja o artigo na AdAge)

5) A quantidade de vezes que o post foi ocultado ou reportado como spam por outras pessoas

Por fim, mais três dicas postadas pelo Facebook:

6) O News Feed da versão mobile é diferente da versão para web (cada um possui métodos de classificação distintos);

7) Mesmo que um post tenha sido postado há algumas horas atrás, ele poderá aparecer como recente caso ainda esteja gerando engajamento. Em outras palavras, a ordem dos posts não funciona mais na ordem cronológica estrita (a não ser que seja selecionado no menu essa opção);

8) Ao clicar em um post, o algoritmo de classificação irá tentar encontrar e mostrar posts relacionados (o que influencia na hora de escolher o título e tema de artigos para ganhar mais visibilidade);

Segundo o blog oficial do Facebook, as atualizações no News Feed confirmam que o que os usuários querem são “notícias mais relevantes e o que os amigos tem a dizer sobre elas”.

“Por que nós estamos fazendo isso? Nossas pesquisas mostram que, em média, os usuários preferem links para os artigos mais relevantes sobre as reportagens atuais, o time de esporte favorito ou interesses compartilhados até a última meme. Começando em breve, estaremos fazendo um trabalho melhor (para dispositivos mobile) em distinguir um artigo de alta qualidade em um website de um meme aleatório hospedado em algum lugar que não seja o Facebook. Isso significa que artigos de alta qualidade que você e outros leem poderão mostrar-se um pouco mais proeminentes no seu News Feed, e fotos de memes aparecerão menos.” – Facebook (fonte)

Telefone: +55 31 21273177 e-mail: falecom@veda.com.br Copyright © 2014